quarta-feira, 27 de março de 2013

Comum ou aditivada? Tire suas dúvidas sobre gasolina

A poucos metros do posto de gasolina, a dúvida: em que bomba eu vou? E é aí que, muitas vezes, a escolha errada pode acarretar em um menor aproveitamento da potência do motor ou mesmo em problemas mecânicos. Isso mesmo. Abastecer subitamente com gasolina aditivada um carro que há anos recebe apenas a comum pode causar o entupimento dos bicos injetores e dos carburadores.

Na relação custo-benefício, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) afirma que, em grandes centros urbanos, onde é comum a situação “anda e pára”, vale à pena abastecer o carro com gasolina aditivada. Entretanto, as vantagens são reduzidas consideravelmente quando as velocidades médias são altas, como nas viagens em auto-estradas. Neste caso, recomenda-se o uso da gasolina comum.




Já a BR, distribuidora da Petrobras, garante que a gasolina com maior octanagem é mais econômica quando recomendada. Não utilizá-la causa aumento do consumo, redução da potência e possíveis danos ao motor do veículo.

Por estas e outras, a escolha não é tão simples. No Brasil, existem três tipos de gasolina: a comum, a comum aditivada e a premium. Diferente do que acontece nos Estados Unidos e na Europa, por força de uma lei federal, ela recebe a adição de álcool anidro, cujo percentual, hoje, é de 25%.

Mas, afinal, um carro acostumado a ‘beber’ gasolina comum, poderá um dia se dar ao luxo de experimentar uma aditivada? Há algum mal em andar com o carro quase na reserva? Para responder a estas e outras perguntas, consultamos Izabel Tereza Lacerda Dutra, gerente de Marketing de Produtos da BR, distribuidora da Petrobras. Confira:



Tecnologia de motores flex permite qualquer combinação de álcool e gasolina (Foto: Divulgação)

1) Qual a diferença entre gasolina comum, aditivada e premium?
A gasolina aditivada é a gasolina comum que recebe um pacote de aditivos detergente/dispersante, que mantém limpo todo o sistema de alimentação do combustível, incluindo bicos injetores e válvulas de admissão. A octanagem da comum e da aditivada é a mesma: 87, no mínimo. Já a gasolina premium possui octanagem superior quando comparada à comum: 91, no mínimo.

2) Como saber qual o melhor combustível para o meu carro?
A potência de um carro já foi definida no projeto do motor. Portanto, o desempenho dele vai depender da gasolina. Para saber qual o tipo de combustível mais indicado, deve-se consultar o manual do proprietário, que visa o total aproveitamento da potência do motor. Alguns fabricantes, principalmente de veículos importados, informam o valor da octanagem, cabendo ao usuário a escolha do tipo da gasolina dentre as opções disponíveis no país.

3) Um carro de alta performance pode receber gasolina comum?

Se veículos que exigem gasolinas de alta octanagem forem abastecidos com
gasolina comum não terão um total aproveitamento da potência do motor.

4) A gasolina premium pode ser usada em qualquer carro?
Sim. A gasolina Podium, nome dado à premium da BR, por exemplo, traz benefícios ao motor pelo baixo nível de depósito, maior desempenho, menor impacto ambiental e pela baixa emissão de poluentes. O melhor desempenho nas retomadas de velocidade, porém, só será percebido pelos veículos que requerem uma gasolina de alta octanagem.

5) Um carro acostumado com gasolina comum pode experimentar a aditivada?
Sim, no entanto, recomendamos usar inicialmente uma mistura gradativa de ambas. Portanto, não encha o tanque do veículo com 100% de gasolina aditivada, pois agindo assim poderá provocar uma limpeza súbita, deslocando eventuais depósitos para pontos críticos, o que pode acarretar entupimentos e mau funcionamento. Comece colocando uma mistura de, aproximadamente, 10% de gasolina aditivada e, a cada abastecimento, eleve este percentual, até atingir 100%. Uma outra alternativa é efetuar uma limpeza no sistema de combustão (tanque, tubulações e bicos injetores) antes de utilizá-la.



Reservatório de partida a frio deve ser preenchido com gasolina aditivada

6) Por que o reservatório de partida a frio deve receber gasolina aditivada?
Porque a gasolina aditivada evita o acúmulo no reservatório de goma, conhecida também como verniz, fruto de um processo natural de oxidação da gasolina.

7) Sempre abasteço com gasolina aditivada. Preciso usar aditivos?

Não. A gasolina aditivada já possui aditivos na medida certa.

8) Posso misturar álcool e gasolina em iguais proporções nos carros flex?
Sim. A tecnologia de motores flex permite qualquer combinação de álcool e
gasolina.

9) Se eu misturar a gasolina ao álcool, qual o tipo mais recomendado?
Não há nenhuma recomendação. No entanto, teoricamente, seriam mais indicadas as gasolinas aditivadas e de alta octanagem pelos benefícios já apresentados.

10) Posso misturar gasolina comum à aditivada?
As gasolinas comum e aditivada podem ser misturadas. O único problema nessa mistura é que haverá uma diluição dos aditivos, causando uma redução do poder de limpeza do sistema de alimentação do veículo. Dependendo da quantidade de gasolina comum adicionada, o pacote de aditivos pode até perder o efeito.

11) Posso andar com o carro quase na reserva?
Não é recomendado andar com o combustível na reserva, tendo em vista que o usuário corre o risco de vir a ficar sem combustível. Caso isso aconteça, os seguintes transtornos e prejuízos podem ocorrer: queima da bomba de combustível, ficar parado em local não apropriado e aplicação de multa.

12) Por que não existe álcool aditivado?
Provavelmente porque não existe ainda nenhum aditivo que possa agregar algum benefício aos motores a álcool.

segunda-feira, 11 de março de 2013

HONDA LANÇA VERSÕES FLEX DA MOTOS CB 300R





As versões 2013 das motos CB 300R e XRE 300 passam a fazer parte da gama bicombustível da Honda a partir deste mês. A montadora aproveitou a atualização no design dos modelos para complementar a linha flex, que já contava com outras quatro motos.

Ambos os modelos podem rodar abastecidos com etanol, gasolina ou qualquer mistura dos dois combustíveis. No entanto, a partida a frio pode ser prejudicada caso haja menos de 20% de gasolina no tanque. Por conta disso, o painel dos modelos flex recebeu uma nova luz que indica baixo nível de gasolina e temperatura ambiente abaixo de 15 graus, combinação que dificulta a ignição.

CB 300R
O modelo é equipado com motor DOHC de 291,6 cm³, monocilíndrico, quatro tempos, com quatro válvulas e radiador de óleo. A CB 300 R tem torque de 2,82 kgfm e 26,53 cv quando abastecida com gasolina e 2,86 kgfm e 26,73 cv quando abastecida com etanol.

Apesar de ter mantido diversos aspectos das versões anteriores, a principal novidade da CB 300R é um defletor lateral próximo à carenagem. A carenagem frontal é integrada ao farol, que possui refletor multifocal. A esportividade é reforçada com as rodas de alumínio de cinco raios duplos e 17 polegadas com pneus largos e de perfil baixo.


sexta-feira, 1 de março de 2013

Curiosidade

Sexta Feira dia de curiosidade ! Você conhece o motor de um navio? não? então veja no vídeo abaixo. 

video

A bomba elétrica de combustível

A bomba elétrica de combustível é responsável por alimentar a bomba de alta pressão e essa, por sua vez, gerar a pressão necessária para alimentar os injetores de combustível. Falhas em bombas elétricas geralmente estão associadas a bolhas de ar no combustível, combustível em nível baixo, combustível contaminado, tanque de combustível sujo, presença de água no combustível e curto circuito, sendo esse último mais difícil de ocorrer.

Para verificar se a bomba elétrica de seu motor está danificada, o correto é realizar um teste de pressão, vazão e estanqueidade da bomba elétrica de combustível. Lembre-se de procurar um serviço autorizado para qualquer teste ou reparo em seu motor.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013


DICAS DE BERETA DIESEL.
Se você, amigo da UMA, estiver com dificuldades no momento da troca de marchas, conheça as causas, para poder inspecionar o seu veículo.

As causas mais comuns são: falta de pressão no platô da embreagem, disco de embreagem com espessura fora do recomendado, passe excessivo no volante, o que diminui o contato com o disco de embreagem, impregnação de óleo no volante e/ou disco de embreagem.

Agora que você já conhece as causas, ao sentir dificuldades na troca de marchas, leve o veículo a um serviço autorizado para verificação do problema. Fique alerta!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Feliz Aniversario - Solimar

Hoje você inicia uma nova jornada, e nesse momento de alegria por você estar completando mais um ano de vida, queremos te dizer que temos muito orgulho em compartilhar da sua amizade.

Parabéns meu amigo, feliz aniversário.

Hoje e sempre, você merece muitos abraços e homenagens.
Que Deus, nosso Pai, ilumine ainda mais seu caminho, para que possa conquistar todos os seus sonhos. Queremos também te agradecer, por tudo o que tem feito para que a nossa amizade fique cada vez melhor.

Parabéns felicidades e muitos anos de vida, são os desejos de todos os seus amigos que fazem a UMA.

Vela, Cabos e Bobina – Falhas

Troque as velas periodicamente ou pague a conta do alto consumo e danos na bobina e nos cabos!

Maior do que a despesa da troca periódica de um jogo de velas, é a despesa contínua por seu mau funcionamento, seja devido ao alto consumo de combustível, danos em componentes do sistema de ignição, e ainda um possível grave defeito eletro eletrônico que vai arrombar seu orçamento.

Vou explicar:

A alta voltagem da *centelha de ignição é fundamental para a combustão da mistura, mas caso essa mesma centelha não percorra seu caminho ideal, vários defeitos graves podem ocorrer. A centelha busca um aterramento qualquer no veiculo como destino, e a ideia é que esse destino seja o eletrodo da vela, que está em contato direto com a mistura ar/combustível, mas como tudo sofre um desgaste, e esse eletrodo tem uma vida calculada pelo fabricante. Cabe ao proprietário promover a troca do componente conforme a recomendação no manual do veículo. Quando esse eletrodo se desgasta, a chama inicial gerada pela centelha sofre uma perda de qualidade e sua ineficiência causa um resultado negativo na combustão interna ao cilindro, e ai é que ocorre a perda no aproveitamento do combustível admitido pelo cilindro e consequentemente o resultado é um motor mais fraco. Essa fraqueza não é percebida de imediato na maioria dos casos, e o condutor acaba acelerando mais para ter a mesma potência e esse ciclo vicioso só pode ser percebido quando a despesa com combustível sobe muito ou quando o carro começa a apresentar alguma falha.

Entenda que trocar as velas uma vez ao ano é algo barato e dá muito certo, tanto para a durabilidade de outros componentes, como principalmente, pode economizar muito

combustível.

Um jogo de velas custa em média R$ 100,00, mas o desperdício de combustível anual pode chegar aos milhares de reais. Uma vela defeituosa ainda pode promover danos prematuros nos cabos de velas, bobina de ignição e causar graves interferências entre outros defeitos que podem atingir componentes eletrônicos microcontrolados como módulos de comando de sistemas de injeção de combustível, câmbios robotizados ou automáticos, freios ABS entre outros, chegando inclusive a promover a queima dessas unidades de comando caríssimas.

Veja no Vídeo Abaixo: 
video

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Dicas da Auto Elétrica do Euripe

Se em uma emergência, você necessitar rebocar o seu veiculo e o serviço de guincho não estiver disponível, utilize-se apenas de um cambão. Jamais utilize correntes, cabos flexíveis ou cordas.
O uso desses objetos pode comprometer a boa funcionalidade do seu carro, alem de colocar a sua vida e de outras pessoas em risco.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Oficina e Serralheria Medeiros

Na Oficina e Serralheria Medeiros, você encontra os serviços de frabricação de Grades, Portas e Portões. Concertos, restalração e adapitação de maquinas agrícolas em geral. Manutenção de motores elétricos, estrutura metalicas em geral e muito mais.

Confira abaixo um dos serviços de restalração e adabitação de maquina agricola:

A Oficina e Serralheria Medeiros medeiros esta localisada na Rua João Custodio da Silva, 52 Apodi.
A organisação de Solimar Regalado
Cel:(84) 9141-7779 ou (84) 9953-2572


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

DICAS PARA ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL


Com o preço da gasolina mais alto, aprenda algumas maneiras simples de evitar que seu carro se torne um beberrão


Com o anúncio do reajuste de 6,6% no preço da gasolina e de 5,4% no diesel, economizar no consumo de combustível ficou ainda mais importante. Mas muitas pessoas não sabem que não é necessário fazer grandes adaptações no carro ou no modo de dirigir para reduzir o gasto de combustível. Basta colocar em prática algumas práticas simples, assim como alguns cuidados com a manutenção.

Pé pesado para quê?
Acelerar e frear bruscamente são alguns dos piores inimigos da economia de combustível, além de ser um perigo para os condutores e pedestres que estão por perto. “Evite picos de velocidade, o correto é conduzir com suavidade. Acelere gradativamente, o motor responderá com eficiência
sem consumir exageradamente”, recomenda Aldo Piedade, proprietário da Alpie Escola de Pilotagem. Frear com calma dá ao condutor (em algumas situações) a possibilidade de aproveitar a inércia do veículo para retomar a velocidade, outro ponto a favor da economia.



Quando o relevo ajuda
Em declives, mantenha o veículo engrenado, acelere o suficiente e aproveite o embalo. É mais uma forma de economizar. “Nessa situação, nunca desça em ponto morto. Use o freio-motor para que o veículo não desça desgovernado e, também, para não sobrecarregar o sistema de freios quando precisar dele”, orienta Piedade.



Marcha X RPM
Manter uma marcha baixa enquanto o motor está em regime de altas rotações é tão inadequado quanto escolher uma marcha alta para rodar em giros tímidos demais. “Para obter o melhor rendimento com economia, o ideal é trocar as marchas dentro da faixa de torque máximo”, lembra Piedade. A informação está descrita no manual do proprietário. Caso o veículo não traga conta-giros, troque as marchas quando perceber que o motor “ganhou força”.



De olho nos pneus
Um pneu pode ser responsável por até 20% do consumo de combustível devido à resistência ao rolamento. “Esta resistência depende de fatores externos ao pneu (velocidade, peso e conservação do veículo, pavimento, temperatura, calibragem semanal) e internos, como estrutura, compostos e desenho da banda de rodagem”, comenta Roberto Falkenstein, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Pirelli. Ele lembra que, além da atenção com a calibragem, é preciso manter as rodas alinhadas para evitar o aumento do consumo de combustível.



Lubrificante também conta
Entre os tipos de óleo especificados pela montadora para o motor, escolha sempre o de menor viscosidade. De acordo com Edmilson Santana, consultor técnico da Castrol Brasil, os lubrificantes de baixa viscosidade podem proporcionar redução no consumo de combustível se comparados aos óleos convencionais de maior viscosidade, além de reduzir as emissões de poluentes na atmosfera e aumentar a durabilidade do propulsor.



Interferências na carroceria
Cuidado ao escolher acessórios para seu veículo. Boa parte daqueles feitos para enfeitar a carroceria pode gerar maior resistência contra o ar, aumentando o apetite do motor. “Um item útil, como o bagageiro de teto, só deve ser montado na capota quando houver necessidade”, diz Marcus Vinicius Aguiar, diretor de Segurança Veicular da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA). Alguns deles possuem formas aerodinâmicas que ajudam a economizar.



Eliminando “gorduras”
O porta-malas do seu carro está cheio de coisas desnecessárias, que você nem dá atenção? É melhor arrumar outro lugar para essa bagagem. “Carregar peso à toa é outro fator que eleva o gasto de combustível”, lembra Aguiar, diretor da AEA. Segundo um estudo da Volkswagen, um peso de 100 quilos pode equivaler a um gasto extra de até 0,3 l/100 km – na média, já que o tipo de veículo, de motor e desenho da carroceria, basicamente, também influenciam.



Refresco para o ar condicionado
Nos dias quentes, o ar condicionado ganha status de salvador da pátria. Ainda mais para quem sabe usá-lo da melhor forma. “Quando estacionado sob o sol, o carro atua como uma estufa, já que a massa de ar de seu interior fica mais quente que a do exterior. Ao sair com o veículo, rode com os vidros abertos para acelerar o resfriamento do habitáculo”, orienta Daniel Ângelo, chefe do conceito de Oficinas da divisão Automotive Aftermarket da Robert Bosch. Só ligue o ar condicionado depois disso. Em trajetos curtos, é possível que o sistema nem tenha tempo de cumprir sua função – melhor nem acioná-lo para não desperdiçar combustível.



Motor na temperatura ideal
Falando em temperatura, o motor consome menos quando está aquecido na medida certa (conforme indica o mostrador no painel). Quanto mais tempo for possível trabalhar dentro desta faixa, melhor. “Por isso, vale planejar bem o uso do veículo. É melhor traçar uma rota para ir a vários lugares de uma vez, se possível, do que recorrer a várias saídas rápidas ao longo do dia”, lembra Ângelo, da Bosch.

sábado, 26 de janeiro de 2013

A UMA preparou as Melhores Dicas Para Comprar Um Carro Usado


Continuando . . .

5- Se informe sobre o modelo desejado: É horrível quando compramos algo e simplesmente nossa nova aquisição não funciona direito. Com o carro não é diferente, existe muitos modelos que podem ter problemas crônicos (veja um exemplo) e que com uma simples pesquisa na internet você pode escapar de um problemão.

Pesquise se o veiculo de sua preferencia não tem muitas reclamações sobre um mesmo defeito, sites como o Reclame Aqui (www.reclameaqui.com.br) são excelentes fontes deste tipo de informação. Você também pode recorrer as redes sócias (Siga o Dicas Mecânicas no Twitter), nelas há milhares de comunidades focadas nas marcas e modelos de automóveis e com certeza haverá uma para o modelo que você esta procurando. Nestas comunidades você encontrar muita informação útil, que ajudara muito na sua decisão final.

Outra fonte rica de informações são as revistas automotivas, nelas você encontrara desde noticias sobre o modelos até Rankings dos carros usados mais vendidos, os mais problemáticos, os mais odiados pelos mecânicos e varias outras lista legais. Procure revistas de maior expressão como: Quatro Rodas, Auto Esporte, Carro, Car And Drive Brasil etc.

Algo que não pode ser deixado de lado é o Recall. Um carro que tem muitos Recall no currículo é no mínimo duvidoso, por este motivo faça uma busca na internet a procura de problemas que fizeram o modelo em questão voltar as concessionárias para uma correção e avalie se estre problema é grave ou não.

6- Revenda: Quem nunca escutou a expressão “Você casou com este carro” ou “Este carro vai te dar duas alegrias: Uma quando comprar e outra quando conseguir vender”. Infelizmente existe muitos veículos que se enquadram nestes ditos populares e que podem te dar muito trabalho ou/e prejuízo na hora de revende-lós. Por estes motivos sempre pesquise motivos que podem dificultar a revenda do seu veiculo.

Um exemplo clássico é a cor: no Brasil as cores que fazem mais sucesso nas vendas são o prata e o preto. Cores muito chamativas podem ser bonitas mas em muitos casos acabam se tornando um tormento na hora de passa-lós adiante. Outra situação envolvendo cores são os carros fabricados com a a cor Branca ou Amarela, pois os mesmos podem provocar uma desconfiança do futuro comprador, porque estas cores geralmente estão associadas com veículos que foram utilizados em serviços de Taxi ou Aluguel.

Carros Rebaixados, turbinados e que possuem um alto custo de manutenção também não são muito bem visto na hora de revende-lós.

Todos estes fatores devem ser levados em consideração na hora da compra, principalmente se não há interesse em ficar com o automóvel por um longo período.

7- Depreciação: A Depreciação é outro fantasma que tira o sono de quem vai adquirir um carro usado. Não é nada fácil lidar com a situação de comprar um veiculo semi-novo e 1 ano depois ele valer bem menos do que foi pago por você. A pesquisa neste caso deve ser direcionada para fatores como: Se o modelo esta saindo ou já saiu de linha, automóveis importados, carros com uma assistência técnica ruim, modelos que não tiveram uma boa aceitação do mercado.

Outro ponto que deve ser levado em consideração é que quanto mais caro o carro maior e mais rápido será a queda do seu valor de mercado.



8- Valor e Frequência da Manutenção: Algo que costuma pesar muito para os brasileiros na hora de realizar a compra de um carro sem duvida é a “manutenção. Muitos carros podem ser um verdadeiro tormento na hora de ir ao mecânico. Tem automóveis que têm a fama de ter uma manutenção cara e uma coisa é certa: “todo boato tem um fundo de verdade” pelo menos no mercado automotivo.

Tem uma dica simples que eu costumo seguir: Carros populares tem uma manutenção mais barata, pois tem maior quantidade de informações técnicas disponíveis e muitos fornecedores de peças no mercado. Já carros que não são populares tendem a ter uma manutenção mais cara, porque a maior parte das informações técnicas estarão dispostas somente para as concessionárias e autorizadas daquela marca e suas peças serão bem mais difíceis de serem encontradas no mercado paralelo.

Logicamente esta dica não é uma regra mais com certeza ela pode te livra de uma enrascada.

9 – Desconfie Sempre: A desconfiança nem sempre é algo ruim, e neste caso ela pode até mesmo ajudar, o motivo é simples, quem desconfia questiona mais, pesquisa mais e não cai facilmente em armadilhas que uma compra de carros pode envolve.

Se encontrar um modelo que lhe agrade, consulte o máximo de informações disponíveis nos órgão competentes como o Detran ou até mesmo leve o carro em um local especializado neste tipo de vistoria, o custo beneficio deste tipo de serviço compensa. Estes especialistas conseguem identificar vários tipos de adulterações como: Carros sinistrados, possíveis colisões sofridas pelo veiculo, automóveis clonados, adulteração na quilometragem total e diversas outras irregularidades que podem te causar uma enorme dor de cabeça.

10 – Peça ajuda de um Amigo: Duas cabeças pesam melhor que uma. A ajuda de um amigo pode facilitar muito na identificação de alguns problemas e se este amigo for um mecânico melhor ainda. Muitas vezes podemos nos iludir com determinados veículos e deixamos passar alguns defeitos, pois somos levados pela euforia da compra. É nestes casos que a figura do amigo é mais importante, pois ele será responsável por nos deixar com os pés no chão e não agirmos por impulso.

O amigo também pode nos ajudar na pesquisa do modelo desejado, diminuindo o tempo de procura e consequentemente fazendo com que fiquemos menos ansiosos.

Não é preciso ser um exper para comprar um carro usado, mas o mínimo que podemos ser é pacientes e colhermos o máximo de informações possíveis para que após a compra o arrependimento não bata a nossa porta.

Este foi o primeiro texto de uma serie dedicada a compra de carros usados, ainda iremos tratar de outros temas como analise visual do veiculo, a analise mecânica e outras dicas relacionadas a documentação.

Ate Mais.

Se Você gostou deste texto, quer acrescentar alguma dica ou ficou alguma duvida, deixe o seu comentário no final desta pagina.


Continuando...

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

PSA Peugeot Citroën apresenta carro movido a ar comprimido



O grupo PSA Peugeot Citroën apresentou nesta terça-feira (22) um novo tipo de carro híbrido: ao invés de eletricidade, o Hybrid Air usa ar comprimido como segunda fonte de propulsão, em conjunto com um motor movido a gasolina. Segundo a empresa, a tecnologia permite que veículos compactos como Citroën C3 ou Peugeot 208 emitam apenas 69g/km de CO2.
O Hybrid Air é composto por um motor convencional acoplado a uma transmissão epicíclica (composta por uma engrenagem central ligada a um eixo central e com várias engrenagens planetárias ao redor da engrenagem central), assistido por um motor hidráulico alimentado por ar comprimido. Um compressor e uma bomba de ar, estimulados pela frenagem regenerativa, enchem o compartimento de ar comprimido.
O carro pode ser movido somente por gasolina ou por ar comprimido – ou pela união dos dois, como num híbrido elétrico. Segundo a PSA, a propulsão a ar comprimido é destinada ao uso urbano, funcionando (quando há carga) até os 70 km/h e disponível por 60% a 80% do tempo. A montadora também alega que a tecnologia melhora o consumo de combustível em até 45% em relação aos C3 e 208 convencionais, enquanto a autonomia por ser ampliada em até 90%.


A PSA estima que os primeiros modelos de produção equipados com a tecnologia Hybrid Air serão lançados em 2016.